O que é Trivium?

O que é trivium

A palavra latina “Trivium” significa “três estradas ou rotas“. A educação antiga e medieval foi estruturada em torno do Trivium – as três estradas – que consistiam nas seguintes matérias:

Gramática ou a capacidade de entender fatos.

Lógica ou a capacidade de raciocinar a relação entre fatos.

Retórica ou a capacidade de expressão sábia e eficaz, a aplicação de fatos e a relação entre eles.

Este mesmo compêndio de aprendizagem pode ser encontrado como um refrão através das Escrituras; especialmente no livro de Provérbios.

Provérbios 2: 6 Porque o Senhor dá sabedoria, da sua boca vem conhecimento e entendimento.

Provérbios 24: 3-4 Sabedoria, a casa será edificada, e será estabelecida com entendimento; E as câmeras serão preenchidas com ciência … “

O conhecimento / ou a prudência é a compactação dos fatos.

A inteligência / ou a ciência do entendimento é o raciocínio da relação entre os fatos.

A sabedoria é a aplicação da aprendizagem.

Cada criança passa por estes três estágios de desenvolvimento:

Primeiro: estágio de conhecimento ou gramática (até 12 anos) surge quando a criança está pronta, para absorver informações e memorizar fatos / dados.

Segundo: a inteligência ou o estágio da lógica (até o início da adolescência) surge quando a criança começa a fazer perguntas e perseguir suas respostas.

Terceiro: A sabedoria ou o estágio da retórica (adolescência avançada) surge quando a criança começa a sintetizar o que aprendeu, expressa-a criativamente e faz uso disso.

Cada material de aprendizagem também progride através desses três estágios de desenvolvimento.

Primeiro: A gramática ou o conhecimento da matéria – os fatos – é quem, o que, onde e quando das coisas.

Segundo: A lógica ou a inteligência da matéria – é a teoria – o porquê das coisas.

Terceiro: A retórica ou a sabedoria da matéria – prática – é o motivo das coisas.

Como exemplo; a “gramática” da matemática inclui fatos aritméticos (adicionar, subtrair, multiplicar, dividir); “lógica” inclui evidência de álgebra ou geometria; “retórica” ​​incluiria a aplicação à topografia, levantamento, contabilidade ou engenharia. A “gramática” da história inclui nomes, locais e datas; “lógica” incluiria o motivo das guerras, emigrações e invenções; A “retórica” ​​incluiria a aplicação desse conhecimento aos eventos atuais.

O processo de aprendizagem cai naturalmente nesses três caminhos de progressão. Em termos de um computador, o conhecimento é a entrada dos dados, a inteligência é o processamento dos dados e a sabedoria é o desempenho dos dados. Conhecimento ou entrada, emprega os sentidos que alguém traz à informação; A inteligência / processamento ocupa a mente à medida que descobre e analisa as relações entre a informação, a sabedoria / desempenho ocupa a voz, as mãos e os pés como expressa e aplica o que foi aprendido de forma prática e significativa.

As crianças são aprendizes naturais e aprendem através da progressão natural do Trivium. Nos primeiros anos de vida, uma criança aprende por si mesmo a alta complexidade de uma linguagem; primeiro aprendendo os fatos – os sons e suas relações – logo o vocabulário, e então começa a expressar o que ela aprendeu – a conversa infantil. A disfunção de aprendizagem ocorre quando há uma interrupção dessa progressão natural, e a educação moderna faz exatamente isso. A educação moderna amplia o nível de conhecimento; sobre estimular os sentidos da criança enquanto se ensina coisas que ela não precisa saber e não está preparada para lidar. O nível de inteligência nem sequer é tocado, enquanto certos pensamentos são sutis (e, às vezes, não tão sutilmente) impostas à mente da criança sem antes ter-lhe fornecido um verdadeiro conhecimento que lhe permite fazer uso do raciocínio da matéria. Uma criança não tem as ferramentas adequadas para avaliar ou discernir os pressupostos “politicamente corretos” que são dadas pelos deuses do que é “politicamente correto” – cuja informação parece ter sido obtida pela revelação direta. Finalmente, o nível de sabedoria é mal dirigido quando os adolescentes são encorajados a auto expressão, mas depois de anos de má administração, eles apenas expressam todas as suas frustrações – muitas vezes de forma destrutiva.

A menos que outras coisas interrompam esse processo, o produto da educação moderna não se amadurece além de um nível de gramática ampliado. Como tal, a criança se torna o escravo de suas próprias percepções sensoriais e é facilmente persuadida pelos meios de propaganda. A criança não é capaz de discernir entre fatos ou falácia, veracidade ou propaganda. Ela não pode definir termos, analisar um argumento ou distinguir entre matéria e causa final. A comunicação precisa e inteligente colapsa quando os níveis e objetivos da educação moderna são reduzidos. Felizmente, há muitas coisas que perturbam esse processo de educação moderna; como a família e a igreja. Mesmo assim, a sociedade moderna baixou o nível de educação e comunicação observado pelas gerações anteriores.

A educação moderna perdeu a perspectiva do que é seu verdadeiro propósito; equipando o aluno com as ferramentas necessárias para continuar aprendendo. Apesar de todas as suas falhas, a velha educação manteve esse objetivo em sua visão. A educação moderna é especializada em coisas menores. Ele ensina crianças a uma multidão de assuntos, mas não consegue ensinar-lhes a pensar! Aprenda tudo, exceto o que aprender! A situação pode ser comparada a instruir uma criança a tocar mecanicamente uma música no piano, mas nunca é ensinado como ler notas musicais e como transferir essa informação para o teclado. Ele pode tocar uma música bem, mas ele não tem ideia de como tocar outra música. Ele é totalmente dependente do “sistema de ensino” para aprender outra. As pessoas hoje pensam que têm que ir a uma escola para aprender qualquer coisa ou aprender tudo. Mais cedo, o homem que aprendeu um ofício por si mesmo era admirado. Hoje, seus esforços são desacreditados. Se a instituição estabelecida não te ensinar, então você não aprendeu nada!

Um artesão primeiro aprende a dominar suas ferramentas. Mas a educação moderna chegou à conclusão de que as ferramentas básicas de Gramática, Lógica e Retórica são desatualizadas e desnecessárias. Mas, você não pode fazer um trabalho adequado sem as ferramentas adequadas. Aqui está a maior parte do fracasso da educação moderna. Hoje em dia, se você obtém as ferramentas adequadas, é só incidentalmente. Em contraste, a Educação Clássica se concentra em forjar e dominar essas ferramentas através do auto ensino; Educação moderna se concentra apenas no assunto a ser aprendido. A educação mais “moderna” é a menos acadêmica do assunto.

• O aluno moderno aprende muitas coisas – trivia;

• O aluno de ontem aprendeu a aprender – trivium.

Com as ferramentas do Trivium, o aluno pode aprender tudo sozinho.

Acreditamos que é imperativo restabelecer o compêndio de Trivium com Gramática, Lógica e Retórica – Conhecimento, Compreensão e Sabedoria – como base do nosso currículo.

* Politicamente correto: termo americano para abraçar a mentalidade liberal moderna. Incluindo o movimento feminista, os direitos dos homossexuais, os direitos do aborto, os direitos legais e sociais das crianças, e assim por diante. Nota: Referências bíblicas – Bíblia plenitude, King James Version, 1960

Por que estudar lógica?

A lógica é a ciência do raciocínio. Cada ciência está preocupada com a detecção e descrição das leis naturais e inalteráveis ​​que regulam um determinado campo de conhecimento. Lógica como ciência, investiga as leis naturais e inalteráveis ​​da razão.

por Harvey Bluedorn, 1993

traduzido por Judy Arroyo, 1998. (Espanhol)

Original: https://goo.gl/WByqy4 (Espanhol)

Traduzido por: Pamella Cristine da Silva de Almeida para Educalar – Educação Domiciliar

Artigos Relacionados

Sobre o autor Ver todos os posts Autor do site

Emerson Almeida

Cristão Reformado, membro da Igreja Protestante Reformada em Joinville (SC), casado com Vanessa Almeida e pai do Eric.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados devem ser preenchidos *