Perguntas e Respostas – Educação Clássica – Parte 2

Perguntas e respostas - Educação Clássica - Parte 2

Continuando nosso artigo sobre perguntas e respostas sobre Educação Domiciliar.

Pergunta: Como uma criança pode ser autodidata em arte?

Resposta: A Educação Domiciliar é excepcional para educar pequenos artistas. Aqui estão algumas coisas que temos aprendido:

Primeiramente, dê espaço, ferramentas e tempo para que as crianças, especialmente abaixo de dez anos, desenvolvam seus trabalhos artísticos. Não encha as agendas delas com muito trabalho acadêmico e atividades complementares. Elas precisam de muito tempo para que sua criatividade seja desenvolvida, e que consigam evoluir nas artes e no artesanato.

Separe um cantinho de arte no cômodo em que você geralmente lê para as crianças ou que passa a maior parte do tempo, assim eles poderão desenvolver seus projetos. Dedique uma pequena prateleira de fácil acesso para os materiais de arte. Mantenha essa prateleira com um bom estoque daquilo que desperta interesse no seu filho, como pinceis, giz de cera, tintas, papeis, tesouras, cola, argila, papéis de parede, amostras de tecido, pedaços de tapetes ou materiais de costura, crochê e tricô de alta qualidade.

Mantenha também uma mesa pequena com cadeiras perto da prateleira onde suas crianças podem trabalhar calmamente enquanto você lê para elas. Isso também é útil para manter as crianças pequenas ocupadas enquanto você ajuda as maiores com matemática ou ciências. Nesse processo, algumas crianças se dedicarão mais e podem gastar uma ou duas horas diárias em atividades artísticas enquanto outras não darão mais que alguns minutos de atenção. Mas se você se sentar e trabalhar ao lado deles, eles dedicarão mais tempo.

Dê também uma variedade de bons modelos de pintura e desenho. Nossas crianças aprendem a desenhar copiando. Elas copiam desenhos e pinturas famosas, imagens da literatura antiga, de livros infantis, de livros antigos ou simplesmente de qualquer coisa que se tenha ao redor da casa.

Uma das coisas mais úteis que já compramos para nossas garotas foi uma sacola cheia de tecidos de uma moça que fazia costuras e algumas reformas. A sacola custou cinco dólares e estava cheia de cetins, seda, veludos e lãs. As meninas eram bem pequenas na época, e elas não tinha habilidades muito acuradas, mas com esses primeiros empurrãozinhos elas logo fizeram roupas de bonecas e ficaram ávidas para saber mais. Elas ultrapassaram as habilidades da mãe rapidamente, e eventualmente aprendem costura e modelagem sozinha. Agora, elas fazem reprodução de roupas vintages, dão aulas de costura e costuram para os outros. Tudo isso veio de um saco de panos. Nós apenas nos certificamos que elas tinham todo o tempo e materiais que elas precisaram para os seus projetos e provemos um local adequado para trabalhar.

A máquina de costura, a prateleira e as mesas onde elas sempre trabalham está acessível para todos os nossos filhos. Seus projetos podem ser deixados lá até que sejam terminados. A criatividade pode ser facilmente desencorajada se você os fizer deixar de lado um projeto pela metade, guarda-lo e depois ter que reorganizar tudo de novo. O que você quer? Uma casa organizada como de revista ou suas crianças desenvolvendo suas habilidades em artes e artesanato?

Claro, eles devem manter o ambiente limpo na medida do possível, mas não acabe com os projetos deles, guardando-os todos os dias.

A Educação Domiciliar nos dá a liberdade de usar nossos recursos e adaptá-los para o desenvolvimento natural de nossas crianças. Quando providenciamos as ferramentas corretas, o espaço, o tempo e a estrutura, eles irão desenvolver habilidades artísticas e criatividade. Eles podem não se tornar outro Thomas Cole ou Rembrandt, mas há uma possibilidade que consigam chegar lá.

Pergunta: O que faz a educação clássica diferente de outros métodos?

Resposta: Em nossa opinião, a educação clássica tem uma estrutura que nos permite utilizar melhor todos os outros métodos – estudo por unidade, escopo e sequência, Charlotte Mason, etc. Ela também dá um maior foco maior nas habilidades da gramática, raciocínio lógico, expressão formal e em uma boa literatura, e isso é um grande diferencial.

Pergunta: O homeschooling é mais caro se o Trivium for utilizado?

Resposta: Usar o Trivium não necessariamente faz a educação domiciliar mais cara que as outras, e provavelmente a torne mais barata. Utilizá-lo não necessariamente demandará mais tempo, e talvez te faça gastar menos horas. Mas lembre-se, você está ensinando a sua criança a como aprender, o que significa que você deverá trabalhar duro e ser um bom professor.

Pergunta: Meus filhos têm doze, dez e oito anos. É muito tarde para começarmos com uma abordagem clássica?

Resposta: Nunca é tarde demais, mas quanto mais tarde se iniciar, mais você precisará trabalhar para nivelá-los e mais obstáculos haverão em seu caminho.

Por exemplo, se seu filho de quinze anos cresceu nas escolas públicas, assiste de três a quatro horas de televisão por dia, raramente é exposto a uma boa literatura e geralmente não é treinado a pensar – ou pior, a não pensar – então a educação domiciliar com o Trivium será um desafio – e provavelmente seu filho necessitará de um processo de desintoxicação.

Educação clássica não é apenas adicionar Latim e lógica ao currículo. É um estilo de vida. Mas se os pais estão mais interessados em seu próprio estilo de vida, então nada pode ser feito.

Pergunta: Acabei de ler seu livro Ensinando o Trivium, e eu percebi que preciso aprender algumas coisas antes de começar a educar meu filho de quatro anos de idade. O que você recomenda?

Resposta: Aqui vão algumas sugestões:

  1. Desligue a televisão. Mantenha-a desligada.
  2. Comece a ler. Se você não gosta de ler, então aprenda a gostar de ler. Comece a ler em voz alta para suas crianças – não apenas “vou ler algum conto dez minutos antes de dormir” e sim “essa semana vamos ler Ilha do Tesouro de cabo a rabo para o nosso filho de seis anos de idade”.
  3. Com as crianças, investigue o mundo em volta de você. Quando nossas crianças eram pequenas (e quando eles eram mais velhos também), nós explorávamos tudo, desde o homem consertando a rua da nossa casa, a ouvir todos os artistas que viam a nossa cidade até ir de biblioteca a biblioteca pesquisando as curiosidades. Faça perguntas e aprenda dos mestres. Peça ao Senhor que lhe dê uma mente inquisidora.
  4. Fale com suas crianças. Argumente com seus filhos (não no sentido da briga, mas no sentido de diálogo e debate).
  5. Não fale como um bebê com seu filho. Jogue fora a mentalidade de “série”. Para falar a verdade, esqueça totalmente em qual série ele deveria estar. Crianças são capazes de entender muito mais do que nós acreditamos. Leia livros acima do que você acha que é o nível deles para eles. Encoraje-os a escutarem conversas mais adultas.
  6. Se assegure de que seu filho te obedeça. Primeiro de tudo, espere obediência.

Não pense que você precisa fazer algum curso em algum lugar para se preparar para dar uma educação clássica aos seus filhos. É no processo de educar seus filhos que você será educado.

Seja Membro Educalar Premium

Pergunta: Que línguas você recomenda que eu aprenda com meus filhos?

Resposta: Se você deseja estudar apenas uma língua clássica, recomendamos Grego, pois é a língua do Novo Testamento. Se duas línguas, recomendamos Latim e Grego, pois o Latim serve como um bom intermediário entre o Português e o Grego, e é a base do Português. Latim é a base de todas as línguas romanas e é muito útil em muitos outros conhecimentos em Ciência, Medicina e Direito. Se três línguas, então estude Latim, Grego e Hebraico, pois hebraico é a língua do velho testamento e traz consigo uma ponte para a cultura Hebraica.

Pergunta: A lista de leitura de alguns educadores clássicos é um pouco intimidadora para mim. Dante, Chaucer e Beowulf no ensino fundamental? Eu não li isso desde que estava no Ensino Médio.

Resposta: Na sua situação, eu me perguntaria: no fim das contas, eu realmente quero que meus filhos leiam Dante, Chaucer e Beowulf? Alguns princípios para considerar essas leituras incluem:

  1. O que eu quero é agradar a Deus. “Não se conformar com esse mundo…” e “não se deixar corromper por esse mundo…”
  2. Existe uma quantidade limitada de horas no dia.
  3. Só porque algo é antigo, não significa que é bom. A maioria dos contos da Cantuária é cheio de grosserias e profanações. Eu não acredito que seja apropriado para uma criança, ainda que apenas um resumo fosse apresentado. Estou certo que provavelmente algumas seções podem ser de algum proveito, mas existem atividades muito mais produtivas do que calçar botas e vasculhar entre o estrume alguns pedaços de milho.

Ano passado dei textos integrais de Beowulf para meus filhos lerem, eles tinham que escrever um artigo para eles. O artigo de Han, meu filho, era intitulado: Beer-wulf¹: A história de como Deus usou um monstro para livrar a terra de Beer Halls.

Você tem Metamorfose, de Ovídio, em sua casa? Sugiro colocar em uma prateleira bem alta. Não existe neutralidade. Se alguma obra não pode ser usada para construir uma cultura Cristã em meus filhos, então será usada para construir alguma cultura anticristã. Perder tempo é anticristão.

Entretanto, alguns protestam: “mas a Bíblia é cheia de descrição dos pecados perversos dos homens”. É verdade, mas a Bíblia também diz o que pensar da perversidade e mesmo assim existem seções que nós não lemos a nossas crianças porque eles não conseguem lidar ainda. Os Judeus não permitiram nenhuma criança pequena que lesse algum cântico de Salomão.

Você já ouviu falar de livros de John Bunyan? São maravilhosas literaturas que você com certeza desejará que seus filhos leiam várias vezes. O que dizer de As Aventuras de Robinson Crusoé? E de Walter Scott? Ou das histórias de Heródoto e Josefo, ou de Anábase de Xenofonte? (Para saber mais sobre eles, consulte nosso livro Ancient History from Primary Sources [História Antiga a partir de Fontes Primárias]). Em relação a literaturas modernas, fique sempre com o que tem valores bons e duradouros

Existem literaturas boas e más, valiosas e sem valor. Literaturas velhas que são requisito nas listas de leituras das escolas não são necessariamente boas e muito menos precisam estar na sua lista. Eu recomendo que sua família liste os princípios que vão nortear as leituras e se apeguem a elas ao escolher algum livro. Não se deixe influenciar por pressões externas – mesmo que venham de nomes da educação clássica.

Pergunta: Seguir um modelo clássico não deixará minhas crianças esnobes?

Resposta: A Educação Clássica nunca transformará alguém em esnobe, nem afastará ninguém de sê-lo. Esnobes são atraídos a coisas que os fazem se sentirem melhor do que os outros. É errado ser esnobe. Mas não é errado ser excelente, e é você que deve aprender a manter uma atitude humilde acerca de suas conquistas. O melhor modo de evitar o esnobismo é ensinar uma atitude humilde de serviço aos outros.

Pergunta: É importante estudar história em ordem cronológica com crianças pequenas no nível do Conhecimento?

Resposta: A maioria das famílias provavelmente encontrarão dificuldades de ensinar história em uma linha estritamente cronológica. A maioria gostaria de fazê-lo, planejam-se para isso e começam os estudos nessa direção. Mas as distrações intrínsecas da educação domiciliar frustram os melhores planejamentos.

Meu objetivo para o ensino de história é dar ferramentas aos meus filhos que os tornem capazes de aprender um novo assunto sozinhos. Estudar história é excelente para construir essa base. Eu quero que eles sejam capazes de estudar história sozinhos, mesmo quando já estejam grandes e tenham seus próprios filhos. Se, por qualquer razão, eu não consiga ensinar toda a história dos tempos antigos aos modernos no pequeno período de tempo que eu os tenho, eles podem preencher qualquer lacuna usando as ferramentas que lhes dei para aprenderem sozinhos.

Entretanto, eles só seguirão estudando história na fase adulta se eles aprenderam a amar estudar história quando crianças. E é exatamente aí que um estudo estritamente seguindo uma linha cronológica pode interferir. Imagine que você está seguindo um plano de estudo dos Gregos antigos no primeiro semestre e estude Roma antiga no segundo semestre. Entretanto, você percebe que seus filhos estão mais interessados em outras coisas. Seus meninos passam todo o tempo livre deles fazendo espadas, armadilhas e castelos. Suas meninas estão muito ocupadas costurando fantasias da Guerra Civil. História antiga pode ser um pouquinho chato para crianças que estão interessadas na era medieval ou na Guerra Civil.

Você pode tentar fazer seus filhos redirecionarem seus interesses, mas se isso não der certo (ou se você ver que não dará certo antes mesmo de começar), redirecione os estudos em relação ao interesse deles.

Pergunta: Eu tenho três crianças de dez, sete e quatro anos e um bebê de sete meses. A hora da leitura é um desafio e tanto. Eu até consigo ler cerca de uma hora para eles quando o bebê está conosco, mas como fazer para que esse momento seja mais proveitoso?

Resposta: Imagine a cena: Mamãe fala: “daqui cinco minutos começarei a leitura do dia”. Instantaneamente cinco crianças vêm correndo pela casa, ansiosas para o próximo capítulo da Ilha dos Golfinhos Azuis. Natanael, de nove anos, senta quietamente na mesa de arte que mamãe posicionou estrategicamente para que ele trabalhasse enquanto ouve a história. Joana, de sete anos, pega o projeto de ponto cruz que ela está fazendo para exibição em uma feira municipal. Hans, de cinco anos, brinca quietamente com seu lego. Eva, de três anos, senta felizmente no sofá perto da mamãe, chupando o dedo e mexendo no cabelo. E por último, mas não menos importante, a pequena Helena engatinha entre os móveis, meche nos sapatos e depois finalmente dorme no chão depois de uma hora de leitura. Todas as crianças estão trabalhando e brincando quietamente, sem distrair a mamãe em momento algum. Ela nem mesmo precisa dizer a alguém que fique quieto ou que pare de brigar. Tudo é paz e calmaria. Mamãe lê por duas horas, parando ocasionalmente para narração e depois para preparar o jantar.

A realidade é assim? Acho que não.

Há um certo tempo atrás, percebi que se eu esperasse pelo tempo perfeito para fazer as leituras, eu teria que esperar para sempre. Mas não se preocupe, eu realmente acho que o mais novo completar vinte e quatro anos, eles finalmente aprenderão a ficar quietos enquanto leio. É claro, por essa idade eles provavelmente estarão todos casados e vivendo em suas próprias casas, e eu ficarei sentada sozinha em uma cadeira lendo em voz alta.

Na vida real, mesmo quando suas crianças já estão grandes, você terá interrupções. Quanto menores as crianças e maior a quantidade delas, mais interrupções você terá. Mas o que é maternidade senão treinar crianças? E olha, esse processo parece que não acaba nunca.

Embora todos nós gostaríamos de uma leitura sem interrupções, é mais importante treiná-los do que ter uma casa totalmente silenciosa. As crianças lembrarão no futuro como nós fizemos as coisas, não necessariamente do resultado. As crianças podem não lembrar se todos estavam quietos ou não, mas eles lembrarão que ela era sempre gentil e doce no tratamento – bem, quase sempre.

Se não leu ainda o primeiro artigo de perguntas e respostas, clique aqui.

Fonte: http://www.triviumpursuit.com/articles/classical_q_and_a_part_two.php
Tradução: Cynara Pereira – Voluntária Educalar – Educação Domiciliar

Seja Membro Educalar Premium

Artigos Relacionados

Sobre o autor Ver todos os posts Autor do site

Emerson Almeida

Cristão Reformado, membro da Igreja Protestante Reformada em Joinville (SC), casado com Vanessa Almeida e pai do Eric.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados devem ser preenchidos *