Como Ensinar a Criança, Não Apenas o Currículo

Como ensinar a criança, não apenas o currículo

por Sonya Shafer

Método Charlotte Mason, Planejando Sua Educação Charlotte Mason, Necessidades Especiais

Não importa qual currículo você usa, nunca vai funcionar perfeitamente para todas as crianças. É neste momento que você tem uma escolha a fazer: ou você opta por ensinar o currículo ou a criança.

Eu freqüentemente comparo essa decisão com cozinhar. Digamos que você encontre uma receita para fazer Chili onde 734 pessoas amaram e que tenham dado boas críticas. Enquanto você lê a receita, percebe que ela exige bastante molho picante. Mas sua família não gosta de comida muito picante. Então você tem uma escolha a fazer: você pode cozinhar a receita como ela é ou você pode ajustá-la para se adequar melhor à sua família.

A maioria de nós ajusta as receitas sem medo e temor. Não importa que a receita funcionou bem para centenas de outras pessoas. Você sabe do que sua família gosta e sabe que a receita original não será do gosto deles como está. Então você ajusta, e isso não é um  problema.

Mas, por algum motivo, muitos pais do ensino domiciliar abordam o currículo de maneira diferente. De alguma forma, eles acham que o currículo tem a palavra final – que não pode e não deve ser ajustado de qualquer maneira, forma ou modo. Você tem que servi-lo exatamente como especificado, e seu filho terá apenas que engolir.

Quando você faz isso, você está ensinando o currículo em vez da criança.

Você, como professor e como pai / mãe, tem a liberdade – ou melhor, a obrigação – de ajustar um curso de estudo para se adequar melhor ao seu aluno. O escritor desse currículo não conhece seu filho como você. Portanto, use o currículo como ponto de partida, assim como uma receita. Encontre um que esteja próximo e ajuste-o conforme necessário.

Isso é escolher ensinar a criança, não apenas o currículo.

A questão inevitavelmente segue, então: Como? Como um pai de educação domiciliar pode ajustar o currículo para melhor se adaptar a um aluno?

Então vamos falar sobre alguns detalhes.

Isso ajuda a manter a analogia da receita em mente quando você pensa em maneiras de ajustar o currículo. Quando você ajusta uma receita, você costuma fazer ajustes em três categorias principais. Você pode ajustar um dos três, dois dos três ou todos os três. As três categorias são: o conteúdo, o trabalho necessário e como é servido.

Você pode ajustar o conteúdo: aumentando a quantidade de alguns ingredientes, diminuindo outros, até fazendo substituições.

Você pode ajustar o trabalho necessário. Talvez a receita pede para colocar alho assado picado, mas você amassa pele e refoga. Ou talvez a receita diga para tampar o chili e cozinhá-lo no fogão por 1 hora, mas você não estará em casa até dez minutos antes do jantar, então você coloca o chili na panela elétrica durante a tarde. Isso também vai funcionar. Muitos dos ajustes desta parte da receita dependem das tarefas envolvidas.

As sugestões de serviço também podem ser ajustadas. A receita pode dizer-lhe para servir o chili com queijo cheddar ralado e pão de milho, mas você decide servir com abacates e salgadinhos de milho. Isso é bom. Você pode ajustar como é servido.

Nas próximas semanas, analisaremos essas mesmas três categorias relacionadas ao aprimoramento do currículo: o conteúdo, o trabalho necessário e como ele é veiculado. Com sorte, você descobrirá muitas idéias práticas que ajudarão você a ensinar seu filho individualmente e a abraçar a liberdade de fazer isso.

A criança é uma pessoa. Nenhuma pessoa é exatamente igual a outra, quanto mais exatamente como todas as outras em sua faixa etária. A beleza do homeschooling é que ele permite que você se concentre na criança como um indivíduo único. Você pode personalizar a educação do seu filho, aprimorando-o ao longo do processo para ajustá-lo melhor. Vamos ver algumas dessas opções de ajustes. Nesta semana, falaremos sobre ajustar o conteúdo.

4 maneiras de ajustar o conteúdo

Pense no material da lição em si. Você pode estar lendo um livro, trabalhando com números, memorizando um poema, estudando uma passagem para ditar – seja lá o que for. Concentre-se no material que deve ser apresentado – o conteúdo – e considere estas quatro maneiras pelas quais você pode ajustá-lo conforme necessário para o seu filho.

  1. Tamanho

Uma das maneiras mais simples de ajustar o conteúdo é selecionar o seu tamanho. Por exemplo, decidir quanto você vai ler, antes de pedir uma narração. Você pode ajustar o comprimento do texto  conforme o necessário – desde um parágrafo a um capítulo inteiro, dependendo do aluno. Nivelar o tamanho para cima ou para baixo também se aplica em muitos outros tipos de lições. Quando você estiver selecionando uma tarefa para uma criança, preste atenção ao tamanho da passagem. Um jovem estudante, ainda pode estar exercendo um grande esforço apenas para segurar o lápis corretamente e manter suas marcas entre as linhas designadas. Uma tarefa de cópia menor incentivará a criança a prestar toda a atenção e dar seu melhor esforço durante este estágio. Quando a habilidade de escrever se torna mais fácil para ele, você pode ajustar o tamanho para refletir esse crescimento.

Se você está atribuindo um poema para o seu aluno memorizar e recitar, considere a duração do poema. Você quer desafiar, mas não frustrar seu aluno. Um poema mais curto aprendido bem terá mais impacto do que um mais longo confuso e recitado mal.

O mesmo vale para textos de ditado. Tenha em mente o quão fluentemente seu aluno está lendo quando você lhe dá uma passagem para estudar para o ditado. Certifique-se de que você não está sobrecarregando-a com uma passagem que contém vinte palavras que ela terá que aprender. Você pode ajustar o tamanho da passagem para ajustá-la melhor agora. Você também pode ajustar o tamanho das frases que você dita para ela escrever. Você quer ter certeza de aderir ao princípio de Charlotte Mason de falar cada frase apenas uma vez; então talvez frases mais curtas ajudem seu aluno a continuar avançando com confiança neste momento. À medida que sua confiança se fortalece, você pode facilmente reajustar a duração das frases para corresponder.

Uma das belezas de uma abordagem de Charlotte Mason é que ela é um conjunto de métodos, e esses métodos funcionam com qualquer tamanho de conteúdo. Portanto, não tenha medo de ajustar o tamanho para se adequar melhor ao seu filho como indivíduo durante cada estágio do seu crescimento.

  1. Holofote

Outra maneira de ajustar o conteúdo de suas aulas é destacar ou destacando as ideias mais importantes, conforme necessário. Um foco eficaz pode ajudar a reduzir a confusão, eliminando detalhes menos importantes e apontando os principais conceitos. Charlotte deu um exemplo de destaque quando descreveu a técnica de retirar alguns nomes-chave da passagem que estava prestes a ser lida (School Education, p. 280). Essas palavras-chave podem ser colocadas no quadro, discutidas e deixadas à vista enquanto o aluno ouve a passagem e a narra. Essa pequena lista ajuda a destacar as ideias-chave da passagem e dá ao aluno os ganchos imaginários nos quais ele consiga pendurar sua narração.

Você também pode usar o holofote para ajudar a orientar um aluno que precisa de ajuda para manter os eventos na ordem correta quando ele estiver narrando. Eu vi Eve Anderson usar essa técnica enquanto ela guiava uma aula através de uma narração. Ela terminou de ler a passagem e disse algo como: “Primeiro, isso aconteceu. O que você lembra sobre isso? ”Depois que as crianças haviam narrado essa parte da história, ela as guiou verbalmente para a próxima parte da história (“ Depois disso, isso e aquilo aconteceu ”) e pediu-lhes para narrá-la. E assim por diante através do capítulo. Era como se ela estivesse iluminando cada evento da história em ordem, para que os alunos pudessem seguir mais facilmente a seqüência correta em sua narração.

Você pode destacar certos aspectos do estudo da natureza se o aluno se sentir sobrecarregado do lado de fora, encorajando-a a procurar algo específico. No artesanato e na arte, você pode destacar apenas um ponto ou técnica, mostrando devagar e com cuidado o que ele deve fazer.

Eu amo como a abordagem da série Gouin para a língua estrangeira tem destaque, naturalmente, incluído no processo. Depois de aprender a série em inglês, você restringe o foco para destacar apenas os verbos principais. Depois de aprender isso, o foco se amplia novamente para aprender o resto.

Ao considerar o holofote, lembre-se de que existe uma diferença entre holofote e alimentando de colher. Não restrinja o foco com tanta força, assim você está apontando para uma única resposta óbvia. Um foco efetivo ainda permitirá que o aluno pense por si mesmo e faça suas próprias relações pessoais. Lembre-se de que você pode destacar ideias importantes se o aluno precisar de mais orientações para descobri-las.

  1. Substituições

Outra maneira de ajustar o conteúdo do seu currículo é por meio de substituições. Você poderia, por exemplo, substituir um livro do seu aluno. Deve ainda ser um livro vivo bem escrito, que contenha pensamentos dignos e histórias inspiradoras, bem contadas. Não sacrifique a qualidade, mas lembre-se de que você pode mudar para um livro voltado para um nível de leitura diferente, se necessário. Eu fiz recentemente isso para o meu filho mais novo com necessidades especiais. Nós estávamos lendo sobre Benjamin Franklin, e eu decidi usar o livro clássico de Landmark, Ben Franklin da velha Filadelfia por Margaret Cousins. Está escrito na linguagem de quinto ano. Às vezes, ela pode compreender um livro escrito em um nível mais alto hoje, mas por algum motivo ela estava tendo problemas com esse em particular. (Eu sabia que era um problema com o livro, porque toda vez que eu lia para ela, ela caía no sono). Então eu encontrei outro livro sobre Benjamin Franklin, Ben and Me, de Robert Lawson, e tentei isso. Também, errou o alvo. Esse livro é cheio de humor, e ela não estava sorrindo para as partes engraçadas. Então eu me estabilizei novamente e peguei a biografia simples e adorável dos D’Aulaires. Aquele clicou. Ela podia ouvir com um rosto inteligente e narrar de acordo com sua habilidade aquele livro.

Tenha em mente que você também pode subir de nível com suas substituições de livros. Se seu aluno estiver pronto para um livro mais difícil, você poderá mudar para um nível de leitura mais alto. Apenas certifique-se de considerar também as idéias que estão sendo apresentadas nesse livro para alunos mais velhos. Quando você está nivelando, você tem que levar mais em conta do que apenas o nível de leitura. Claro que seu aluno pode ser capaz de ler nesse nível mais alto, mas alguns dos livros escritos nesse nível contêm idéias que exigem um nível mais alto de maturidade emocional também. Fique atento a esse aspecto. Só porque o aluno pode ler um livro de nível superior não significa necessariamente que ele deveria ler. Um conselho para o sábio.

O planejamento simples de Charlotte Mason mostra sugestões de livros sobre história, geografia e livros bíblicos para uma variedade de níveis. Sinta-se à vontade para consultar essas listas para ter ideias de substituição. Você também pode encontrar sugestões de livros alternativos no CM Bookfinder on-line, nas listas de livros de História da TruthQuest e em um livro de referência chamado All Through the Ages from Nothing New Press. [Materiais em inglês]

Mas os livros não são as únicas substituições que você pode fazer. Ao fazer cálculos mentais, você pode personalizar os cenários substituindo nomes de pessoas na vida do seu filho ou objetos de interesse pessoal. Então, se a soma matemática declarada disser: “Há 9 crianças no parquinho. Se você for para casa, quantos são deixados? ”, Você pode mudar para “Tem 9 cachorros no parque de cachorros ”ou“ Existem 9 carros na pista”. A incorporação do entusiasmo do aluno pode ajudar a tornar suas aulas de matemática pessoais.

Você também pode substituir as fotos que você usa para estudo de imagens. Se uma das imagens pré-selecionadas por um artista causar uma perturbação ou perturbar um dos seus filhos, sinta-se à vontade para substituir um trabalho diferente do mesmo artista. Nossos portfólios de estudo de imagens oferecem oito imagens com essa opção: você pode optar por usar apenas seis.

As substituições podem ajudá-lo a ajustar o currículo para ensinar melhor seu filho.

  1. Velocidade

E a quarta maneira de ajustar o conteúdo do currículo é movendo para cima ou para baixo a velocidade com que você passa pelas lições. Esse fator é especialmente importante quando você está ensinando um assunto baseado em habilidades, como habilidades de matemática ou de linguagem, como leitura, escrita e gramática. Você não quer passar para o próximo conceito até que seu filho tenha uma compreensão confortável do atual. Você precisa ter certeza de que cada passo é dado em terra firme. Muitas das artes da matemática e da linguagem se desenvolvem passo a passo: o próximo conceito a ser introduzido depende do domínio do conceito atual. Então não tenha pressa. Seu aluno fará um progresso mais estável e confiante se você permitir que ele permaneça com um conceito até que ele realmente entenda por si mesmo, em vez de forçá-lo a prosseguir e depois ter de voltar atrás, porque existem lacunas em seu entendimento.

A série de aritmética elementar de Charlotte Mason simplifica a permanência de um conceito até que o aluno esteja pronto para seguir em frente. As somas simples dadas nas lições são projetadas para facilitar a personalização. Eles podem ser usados ​​e reutilizados com diferentes objetos do dia-a-dia e simplesmente trocando os nomes e detalhes para mantê-los atualizados pelo tempo que você precisar.

Charlotte acreditava firmemente que as lições de matemática e de linguagem deviam prosseguir à velocidade de cada criança, independentemente de qual nível de série ele pudesse ser.

“Na gramática (inglesa e estrangeira) e na matemática, não deve haver lacunas. As crianças devem continuar de onde pararam, mas serão prejudicadas no futuro, a menos que possam fazer o trabalho definido para este Formulário ”(Programas do PNEU 90–94, maio-julho de 1921 a dezembro de 1922).

Ajuste o currículo para ir ao ritmo do seu filho. É mais importante que o seu filho compreenda o conceito do que você ter a lição  concluída.

Então você tem quatro maneiras possíveis de ajustar o conteúdo do seu currículo para melhor se adequar ao seu aluno. Mas vamos enfatizar uma coisa. Mesmo com todos esses possíveis ajustes, você ainda está usando os métodos da Charlotte Mason. Essa parte do currículo não muda: os métodos. Espero que os exemplos compartilhados acima forneçam algumas ideias de como você pode ajustar o tamanho, destacar os principais conceitos, fazer substituições personalizadas e marcar a velocidade do conteúdo ao usar os maravilhosos métodos de Charlotte com seu aluno.

Com isso em mente, ajustarei o tamanho e a velocidade dessa postagem. Analisamos maneiras de ajustar o conteúdo do currículo. Vamos manter o tamanho gerenciável e dar-lhe algum tempo para digerir essa parte, antes de discutir o trabalho necessário e como as aulas serão ministradas.

Vamos continuar daqui da próxima vez e falar sobre mais maneiras de ajustar e fazer ajustes para ensinar a criança, não apenas o currículo.

Texto original: http://bit.ly/2Sdnr8l
Traduzido por: Alessandra Martins – mãe educadora

Sobre o autor Ver todos os posts Autor do site

Emerson Almeida

Cristão Reformado, membro da Igreja Protestante Reformada em Joinville (SC), casado com Vanessa Almeida e pai do Eric.

10 ComentáriosDeixe um comentário

  • Concordo plenamente com o texto acima, aqui em casa eu sempre opto por fazer adaptações, não sei se sou muito exigente, mas sempre acho que posso melhorar mais o conteúdo/atividade. E sempre a trago para a vida real do meu filho para que ele encontre sentido e veja utilidade no que está aprendendo….Quando eu estava na escola eu sempre achava besteira estudar tantas coisas achava que nunca iria precisar daquele conteúdo por isso tento sempre explicar para o meu pequeno a utilidade do que estou ensinando. Bjos

  • A Parte de estarmos trabalhando com nosso filho, nos permite ver o seu ritmo, se está aprendendo ou não, trabalhar na dificuldade independente do tempo. Acabei de tirá lo do Kumon, porque vi que não estava sendo bom nesse período de aprendizado dele. Cada criança tem sua forma de aprender, como no texto falou, essa é a beleza do HS, trabalhar com ela como indivíduo único.

  • Gostei muito do texto e o fato de ter sido usado a comida como exemplo para as devidas mudanças tem tudo a ver com as dificuldades que encontro no homeschooll aqui em casa. . E realmente tenho dificuldades de mudar muito as receitas, porque sou metódica ( se não tenho o ingrediente, deixo a receita de lado! kkkkk) , características firmes do meu temperamento! E sei que devo deixar o meu perfeccionismo e olhar para o objetivo sem o “perfeito”. O texto me ajudou a enxergar que não só posso… como devo mudar para chegar ao final feliz, isso é o que importa!!

  • Este texto traz o Homeschooling para a nossa realidade. De uma forma simples de entender. A adaptação é algo extremamente necessário pois nossos filhos são diferentes uns dos outros e as vezes oque funciona com um não funciona com o outro.

  • Amei a comparação com cozinhar por uma receita. Esclareceu bastante o porquê de precisarmos adaptar o currículo às necessidades da nossa família.
    Igualmente importante foi apontar as 3 categoriasnas quais fazemos os ajustes. Excelente artigo!

    Algo muito positivo pra mim são que as dicas de Sonya Shafer sempre abrem minha visão para mais perguntas para entender cada vez melhor a ED.

    Por exemplo, quando meu filho de 6 anos resiste escrever mais do que uma linha (uma frase simples), será que devo exigir que termine a tarefa proposta? Ou será que estarei criando nele um desgosto pela escrita se obrigá-lo a cumprir a mesma?

  • A melhor parte do HS é fazer adaptações para deixar no “nosso molde” ursufluir do que dá certo e modificar aquilo que na nossa realidade não se enquadra ,desescolarizar a mente nos faz enxergar que não precisamos seguir a risca tudo que um currículo nos orienta ,e isso é libertador.

  • O aprendizado é individualizado e cada criança tem o seu momento e forma de aprender. Conhecer as habilidades possíveis e as que cada criança tem especificamente, facilita esse processo de ensino-aprendizagem com maior possibilidade de sucesso neste trabalho. Parabéns pelo artigo!

  • Excelente texto, me ajudou muito na reflexão sobre o assunto. Preciso fazer alguns ajustes nas “receitas” aqui de casa……

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados devem ser preenchidos *