A Escola Também Precisa Existir

Assim que você decide começar educar seus filhos em casa e comunica isso a seus amigos, familiares e vizinhos esteja preparado para responder às mais diversas perguntas. Isso é um processo natural por dois motivos. Primeiro porque existe curiosidade. As pessoas não conhecem o modelo de educação domiciliar. Segundo porque há uma preocupação genuína com as crianças, afinal fomos ensinados que a criança precisa ir para escola.

Após este momento de ambientalização, onde dúvidas foram esclarecidas e o entendimento começa ser mais sólido, nós, pais educadores, temos uma séria tendência a querer descartar a escola. Afinal, se podemos educar nossos filhos em casa, por que eu precisaria de escola?

Este pensamento pode passar por sua cabeça, afinal, se decidimos educar em casa a escola poderia ser eliminada do cenário e tudo estaria resolvido, certo?

Errado.

Quando pensamos em educação domiciliar, precisamos pensar em mais uma opção de modelo educacional para nossos filhos (hoje temos apenas a escola como modelo reconhecido) e entender que esta opção está disponível e a família pode escolher entre a escola e educar em casa.

No Brasil somos “obrigados” pela LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional  (Lei 9.394 de 20/12/1996), Artigo 4, Inciso I a enviar nossos filhos a escola a partir de 4 anos de idade. Contudo, defendo que a família tem (ou deveria ter) a liberdade constitucional de educar seus filhos em casa. 

Este entendimento é importante porque ao defender a educação domiciliar, não defendemos automaticamente o fim da escola. Esta nova opção dará aos pais a possibilidade de avaliar o que se adéqua mais para suas rotinas e o que desejam para seus filhos, de modo a escolher entre escola e a educação domiciliar.

Entendemos que a instituição escolar precisa existir, e é através dela que muitas famílias que não têm condições de assumir a responsabilidade integral de educar seus filhos irão conseguir cumprir a tarefa de educação formal (acadêmica).

A família ao decidir educar seus filhos pelo modelo escolar, deve, como toda família preocupada, ter critérios bem definidos para escolher entre uma ou outra opção de escola. A escola ideal é aquela que cumpre os requisitos definidos e que não atinja critérios-base dos requisitos que sua família definiu.

Um exemplo. Uma família cristã, com 1 filho de 4 anos, que mora em uma pequena cidade no interior de SP. Esta família tem convicção de suas crenças e deseja o melhor para seu filho.

Neste caso, esta família teria basicamente duas opções (podem existir mais). Primeira opção, a família busca na cidade uma escola confessional (modelo de escola normalmente dirigido por uma denominação religiosa, por exemplo, Igreja Presbiteriana do Brasil). Esta escola tende a manter princípios bíblicos bem estabelecidos. Neste caso você deve conferir seus requisitos, fazer uma visita e avaliar se ela realmente cumpre ao que se propõe. Segunda opção, assumir a educação integral do filho através da educação domiciliar.

Eu sempre acredito que mesmo com uma escola confessional, a família que tem condições sempre deveria optar pela educação domiciliar. Entendo que ninguém melhor do que a família para conhecer seus filhos e aplicar o conhecimento necessário. Mas, também entendo que nem sempre isso é possível. Por este motivo acredito que valha a pena uma reflexão profunda neste assunto.

A escola nunca vai acabar. Ela é, em último momento, a opção que a família tem para que de um modo ou de outro a criança aprenda o básico para viver em sociedade. Os critérios neste caso deveriam ser muito avaliados, e nunca apenas enviar nossos filhos a escola sem acompanhar.

Não imagine que, porque você escolheu educar em casa, todos devem ou têm condições de assumir tal responsabilidade. Converse, entenda a realidade da família e se assim ela desejar, ensine o que você sabe sobre educação domiciliar, a fim de ajudar que mais uma família consiga praticar este método.

Reflita neste vídeo.

PS.: A medida provisória em prol da educação domiciliar citada no vídeo não se concretizou.

Um abraço,
Emerson Almeida

Artigos Relacionados

Sobre o editor(a) Ver todos os posts Autor do site

Emerson Almeida

Cristão Reformado, mora em Joinville (SC), casado com Vanessa Almeida e pai do Eric.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados devem ser preenchidos *