Lendo Em Voz Alta

Do Detetive Fallacy – Por nbluedorn

Este artigo foi retirado do livro Mão que balança o berço.

No ano em que completei cinco anos, minha mãe leu a série Os Pioneiros Little House  para nós, crianças. Isso começou uma longa procissão de livros que ela e papai leram para nós. As imagens que desenhei em minha mente decoram minhas memórias de infância. Eles me moldaram.

Eu quero ajudá-lo a ler para seus filhos.

Por que ler para seus filhos?

Histórias ampliam horizontes. Ao ouvir, as crianças conhecem mais pessoas e lugares na curta infância. Em um sofá aconchegante, os pais podem levar a família ao redor do mundo em oitenta dias com Jules Verne.

Bons livros ensinam caráter. Charles Dickens descreve os vilões em Oliver Twist que contrasta com o inocente garoto Oliver – que é sequestrado por Fagin, o treinador de ladrões. Os autores ensinam boas qualidades, contrastando-os com ruins. As crianças aprendem valores como curiosidade, amor e aventura.

A compreensão auditiva vem antes da compreensão de leitura. As crianças aprendem a entender conceitos e a inferir as histórias que ouvem. Crianças tem habilidades linguísticas mais fortes – vocabulários maiores e melhores habilidades de memória e sequenciamento. Eles aprendem a ler livros difíceis mais cedo.

A leitura ensina a escrever. Ouvir a Teia de Charlote Charlotte’s web de E. B. White imprime seu estilo na memória de uma criança. Bons livros são obras de grandes mentes. Ouvi-los ensina às crianças como é a boa escrita.

Histórias ensinam história. Pimpinela Escarlate  me estimulou a aprender sobre a França e a Revolução. Isso me levou a Napoleão e depois ao perdido Louis XVII. O homem de ferro, de Howard Pyle, ensina mais sobre a vida medieval do que qualquer outro livro. A história é algo a se experimentar, e fazemos isso em histórias.

Ler em voz alta cria laços familiares. Foi  reconfortante sentar-se confortavelmente ao lado de minha mãe em uma tarde de ventania  no inverno, enquanto ela lia para nós a Alhambra de Irving. Lembro-me de toda a nossa família ouvindo suspensa em nossos assentos enquanto papai lia A destruição do Grosvenor. Toda vez que papai perguntava se deveria parar, gritávamos para que ele continuasse.

Como ler em voz alta?

Minha mãe leu à tarde, quando a escola terminou. Ela costumava ler em voz alta como recompensa. Ela nos pediu para ficarmos um pouco quietos, mas poderíamos brincar com nossos brinquedos ou arte.

Ela queria que fizéssemos perguntas quando não entendíamos algo. Às vezes, ela fazia perguntas para ver se estávamos pegando tudo. Às vezes, ela nos pedia que recontássemos o que ouvimos no final de um capítulo; isso é chamado de narração.

A mãe leu por uma ou duas horas, dependendo de quanto tempo sua voz se cansou. Às vezes, continuávamos envolvidos por um conto excepcionalmente legal durante toda a tarde. Ao mostrar seu amor pela leitura, mamãe catalisou o amor em nós.

Meu pai leu um livro diferente antes de dormir. Ele leu mais ação e aventura. Há algo sobre Sherlock Holmes e histórias como A ilha do tesouro que os fazem serem propícios para  serem lidos à noite.

Não leia livros chatos. Leia livros de que você gosta. Seus filhos também vão gostar deles. Desafie-se a ler livros que considera difíceis. É como exercitar seus músculos de leitura. As crianças pequenas parecem não perceber algo a princípio, mas os detalhes foram guardados em sua memória.

Áudio books são maravilhosos. Cada performance adiciona uma voz e interpretação à leitura. Nossa família tem alguns leitores favoritos. Os audiolivros podem ser bons para viagens. Se você se sente intimidado ao ler em voz alta, pode começar com audiolivros.

Quais livros são para ler?

Quais são os “clássicos”? Se você perguntar a uma bibliotecária, ela lhe dirá que os clássicos são livros que passaram pelo teste do tempo. (Algumas pessoas confundem isso com a literatura grega e romana antiga.) Para mim, livros clássicos são aqueles que encontraram seu caminho nos corações e mentes dos leitores por várias gerações. Eles duraram.

Você deve ler apenas os clássicos? Não. Nem todos os clássicos são bons para crianças. E existem bons livros modernos que ainda não coletaram poeira suficiente para serem chamados de “clássicos”.

Eu recomendo evitar leituras leves – livros que usam vocabulários pequenos e não desenvolvem seus personagens. Exemplos podem ser as séries Hardy Boys, Nancy Drew ou The Boxcar Children. Eu evitaria livros abreviados também. Se um livro é bom o suficiente para seus filhos, é bom ler as palavras originais do autor.

Para os pais que nunca leram em voz alta, recomendo algumas histórias simples: Penrod, A porta na parede, O revolver de Matchlock, Johnny Tremain, O rei do Vento ou Os lobos de Willoughby Chase.

Para os pais que querem tentar algo mais difícil, recomendo Hitty: Os primeiros cem anos; Homens de ferro; Lassie volta para casa; O ano; O Hobbit; Andorinhas e Amazonas; ou a família suíça Robinson.

Para os pais que realmente querem um desafio, recomendo A pedra da lua, Les Misérables, Ivanhoe, A fecha negra ou Ben-Hur.

Texto Original: http://www.fallacydetective.com/articles/read/reading-aloud

Traduzido por: Alessandra Martins – mãe educadora.

Artigos Relacionados

Sobre o autor Ver todos os posts

Bárbara Beatriz

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Que gostoso ler esse relato sobre a leitura em voz alta da perspectiva de quem cresceu ouvindo os pais lerem em voz alta.
    Aqui em casa lemos em voz alta sempre. Ainda não chegamos às duas horas diárias, mas estamos no caminho.
    Fiquei feliz ao ler que às vezes após a leitura as crianças “entravam” na história lida e brincavam à tarde toda, porque vejo esse comportamento também na minha filha.

    • Que lindo! Minha filha também gosta quando lemos para ela, e trás um livrinho atrás do outro
      para lermos.:-) Deus abençoe vocês!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados devem ser preenchidos *